Adolescência: mais uma das belas fases da vida. E só!


Como pais e mestres veem a adolescência e os resultados obtidos a partir desse olhar.

Adolescência, mais uma das belas fases da vida. E só!

Há anos, desde que engravidei dos meus dois filhos, venho analisando os diversos pensamentos e paradigmas que a sociedade tem formado e compartilhado sobre a adolescência. E incrivelmente, antes mesmo de aprofundar nos estudos de relacionamento intra e interpessoal, inteligência emocional e as Leis do Universo como, por exemplo, a lei da Gratidão, não me conformava com isso! Apenas olhava a situação como mãe de duas crianças que um dia alcançariam a adolescência e ficava assustada com a cegueira das pessoas em não saberem que colhemos o que dizemos! Assim como pensamos, agimos!, e lançamos emoções exatamente conforme nosso estado emocional, então teremos resultados precisamente baseados nesses pensamentos e ações. Você sente, seu coração e suas emoções vibram conforme esse sentimento, isso gera um campo vibracional que contagia todo o ambiente onde você está inserido (família, trabalho, relacionamentos...) e essa mesma força retorna a você com mesma força e intensidade.

Isso é Lei da Ação e Reação, Força do Pensamento, Física Quântica!

Isso é a Lei da Vida!!

Colheremos conforme o que plantarmos. E com nossos pensamentos e ações não será diferente! Assim como pensamos, sentimos, agimos, então... somos.

Inconformada com os paradigmas sociais (crenças, modelos de comportamentos seguidos por uma sociedade) sobre o tema, antigamente eu apenas confrontava pessoas do meu círculo social a repensarem seus conceitos, mas o alcance era ínfimo se considerarmos quantas me ouviam, e, claro, quantas permitiam tal abordagem.

E como tenho sofrido ao ouvir queixas sem fundamentos sobre a tal aborrescência!!

Não foram poucas as vezes que, sem querer, ofendi algumas amigas ao confrontar suas queixas, dizendo-lhes que quando meus próprios filhos entrassem na adolescência, diferentemente do que elas estavam vivendo, essa seria tão somente mais uma das belas fases da vida... Eu realmente sempre acreditei nisso!!

Por que algumas famílias conseguem manter normalmente a harmonia da casa cheia de adolescentes e outras não?

Por que garotas e garotos educados, que cresceram em lares felizes, que sempre conviveram harmoniosamente com os pais, ao entrar na adolescência, passaram a se tornar intolerantes? Será que a relação era tão harmoniosa assim?

Vejo pais reclamarem que os filhos adolescentes não querem viajar mais com a família, ou não querem ir a restaurantes com eles... E quando os filhos eram crianças, eles faziam parte das viagens que o casal fazia? Havia o hábito de saídas a restaurantes em família ou o casal, precisando renovar os laços afetivos, sempre saía sozinho?

É necessário analisar os hábitos construídos ao longo dos anos...

E assuntos como o uso de substâncias lícitas, ilícitas e gravidez na adolescência, além de lares onde brigas e desavenças sempre foram sua principal característica deixarei para explanar em outro artigo...

Como está o diálogo entre pais e filhos?

Quando os filhos são pequenos dedicamos grande parte do nosso tempo a eles, até mesmo por suas limitações físicas como, por exemplo, alimentar-se, cuidar da própria higiene, fazer os deveres escolares, entre outros. O adolescente sabe se alimentar, alguns sabem preparar uma refeição, sabem cuidar da própria higiene, estudar sozinho, inclusive sair de casa e chegar ao destino escolhido!

Então, não lhes dedicamos tanto tempo nesses afazeres...

Mas...

E o tempo a ser dedicado agora não mais com cuidados físicos, e sim com presença? Diálogos? Intimidade? Afeição!

Cito aqui um trecho de meu livro O Despertar de uma Sinfonia:

... Então me certifico, definitivamente,

de que valeu a pena.

De que a maternidade é uma das

experiências mais fantásticas que existem.

É um caminho sem volta, sem opção de devolução

ou arrependimento, e o resultado...

Ah! O resultado é uma

história de amor carregada de vitórias,

se você planta a boa semente

e cuida dela sem fadiga,

mas com afeto, atenção e dedicação. (p.173)

Muitos pais insistem em se defender, dizendo que agora os filhos adolescentes são independentes e não precisam tanto deles mais... errado! Um grande engano.

Seu filho é independente nos afazeres descritos acima, mas está vivendo um dos períodos de maior fragilidade da vida dele.

Adolescência é período de descobertas, de autoafirmação, com as mais diversas transformações corporais, hormonais e comportamentais. Nessa fase ocorrem mudanças hormonais significativas no corpo. Esses hormônios acabam influenciando diretamente o comportamento dos adolescentes. Nesta fase, os adolescentes podem variar muito com relação ao humor, e comportamentos como agressividade, tristeza, felicidade, agitação, preguiça e ansiedade podem ser comuns.

Se os pais entenderem

e souberem administrar isso,

o relacionamento familiar pode não só

se manter harmonioso e íntimo,

como se tornar

um estilo de relacionamento a ser vivenciado

nas próximas décadas!

Portanto, sua experiência como pai, mãe ou cuidador é fundamental para ajudá